Institucional

Ousadia e coragem marcam os 69 anos do IAM

Publicado em 03 de Setembro de 2019

A história do Instituto Aggeu Magalhães (IAM), desde a sua criação em 1950, tem sido marcada por sua capacidade de crescimento, mesmo em cenários adversos ou desafiadores. Criar um centro de pesquisas, no nordeste do Brasil, dedicado ao estudo de doenças tropicais negligenciadas, configurava na época (e configura até os dias atuais) um ato de ousadia e coragem. Hoje, este mesmo espírito empreendedor e de vanguarda continua presente nas celebrações dos 69 anos de existência da instituição.

 

Incorporado à Fundação Oswaldo Cruz, em 1970, o IAM - antes dedicado ao enfrentamento de grandes epidemias como a da esquistossomose, da peste e da filariose, entre outras - passou a assumir também o desafio de formar recursos humanos para a docência no campo da Saúde e para o Sistema Único de Saúde. Além de ampliar as suas áreas de pesquisas, atendendo às urgências sanitárias e epidemiológicas atuais, como no desenvolvimento de novas tecnologias.

 

Essas características foram lembradas pelo diretor da instituição, Sinval Brandão Filho, na mesa comemorativa ao aniversário do IAM.“Somos não só a mais antiga unidade da Fiocruz fora do Rio de Janeiro, como também a mais abrangente. O escopo de atuação do IAM, atualmente, vai desde o atendimento às novas epidemias - como foi o caso das arboviroses, em especial da Zika, da microcefalia, em 2015 – como temos nos destacado no desenvolvimento de insumos e imunobiológicos, com os estudos para a criação da vacina da dengue e da febre amarela e no desenvolvimento de novas tecnologias”, afirmou Sinval.  Por fim, o diretor agradeceu a todos que estiveram presentes ao evento, reafirmando a disposição da instituição para resistir e contribuir com a ciência do país.

 

Prestigiada pelo Governador de Pernambuco, Paulo Câmara - que percorreu todas as instalações recém reformadas e entregues nas comemorações de aniversário - a celebração contou ainda com a presença da Presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, do Secretário Estadual de Saúde (SES/PE), André Longo, da representante da Secretaria de Vigilância à Saúde do Ministério da Saúde, Sônia Brito e do presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Fiocruz (Asfoc), Paulo Garrido. Junto com o diretor do IAM, o grupo reinaugurou equipamentos como recepção, quadra, Sala de Experimentação Comportamental de Vetores e laboratório de nível de biossegurança 3 (NB3), após serem reformados.

 

Outro destaque das comemorações foi o anúncio do Doutorado Profissional em Saúde Pública. Realizado em parceria com a Secretaria de Saúde de Pernambuco, o doutorado – cujo o edital sairá no próximo dia 8 de setembro de 2019 – foi aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Ele é o primeiro doutorado profissional público, no campo da Saúde Coletiva, aprovado no país. O curso tem caráter interdisciplinar, multiprofissional e seu objetivo é a formação de doutores na área de concentração da Gestão em Saúde. Para esta primeira turma serão disponibilizadas 10 vagas, destinadas aos servidores da saúde estadual.

 

Falando sobre esta parceria, o secretário André Longo destacou a alegria de participar das comemorações dos 69 anos do IAM e da importância do trabalho conjunto desenvolvido pelas duas instituições. “Falar do Aggeu é falar de parceria e construção da Saúde Pública e do Sistema Único de Saúde em Pernambuco e no Brasil. A gente tem a perfeita clareza da importância do IAM nos momentos de dificuldades pelos quais passou a saúde pública em Pernambuco nos anos de 2015 e 2016, foram dias difíceis. E foi nessa casa, que a SES encontrou acolhida para construir uma grande parceria, que resultou num trabalho reconhecido pelo mundo inteiro. Vir aqui hoje é uma forma de reconhecimento e de agradecimento”, ressaltou André Longo. O secretário ainda elogiou capacidade do Aggeu, no atual cenário político-econômico brasileiro adverso, conseguir investir em melhorias de equipamentos e na formação de recursos humanos, como é o caso do doutorado profissional em Saúde Pública.

 

   

 

Para Sônia Brito, representante da SVS/MS o lançamento de um doutorado profissional, no momento no qual, segundo ela, está tão difícil encontrar estímulos para os servidores públicos, no campo da saúde, se motivarem, se engajarem, se comprometerem e principalmente, trabalharem com alegria, é motivo para festejar bastante. “A gente está com dificuldade inclusive de expressar o que está dando certo, expressar essas entregas, o que está dando certo no SUS. Aí a Fiocruz se mostra como instituição fundamental para que isso aconteça”, disse Sônia.

 

Essa mesma linha de pensamento foi expressa pelo presidente da Asfoc, Paulo Garrido, que colocou a importância de celebrar os 69 anos do IAM e de narrar as experiências exitosas do serviço público, das ciências e tecnologias, das pesquisas, numa conjuntura bastante adversa, e trabalhar a partir delas, afirmou.

 

Presidente da Fiocruz prestigia aniversário 

 

O encerramento das comemorações dos 69 anos do IAM, ficou a cargo da presidente da Fiocruz, Nísia Trindade. Diante de um auditório lotado, Nísia começou agradecendo a unidade, na figura do seu diretor Sinval Brandão, pela capacidade do Instituto trabalhar de maneira integrada e colaborativa com o conjunto da Fiocruz, como parte de um sistema. “A gente quer que, cada vez mais, a Fiocruz se veja como um sistema, que tem o seu papel em diferentes redes do SUS”, afirmou a presidente. 

Esse poder de articulação também foi lembrado por Nísia no trabalho junto as fundações de amparo à pesquisa nos estados onde a Fiocruz está. No caso da unidade pernambucana, ela destacou a excelente representação e qualidade de projetos apresentados na Chamada Pública Inova, na qual o IAM apresentou 14 propostas. 

 

Na área de Gestão e de Desenvolvimento Institucional, lembrou a importância da valorização e reconhecimento àqueles trabalhadores que dedicam boa parte da sua vida à instituição, como é o caso da homenagem feita aos pesquisadores André Furtado e Leda Regis, que deram seus nomes à nova Sala de Experimentação Comportamental, do departamento de Entomologia/IAM.

 

A importância da parceria do IAM com a SES/PE na implantação pioneira do doutorado profissional, no campo da gestão da saúde coletiva, foi outra ação destacada pela presidente. Parceria igualmente importante realizada entre a unidade e a SVS/MS para a reestruturação do laboratório de nível de biossegurança 3 (NB3).

 

Por fim, após elencar alguns importantes desafios no campo da saúde mundial, Nísia Trindade lembrou do compromisso de cada um que faz a Fiocruz, seja atuando em Pernambuco ou no restante do país, de construir um Brasil mais tolerante. “A Fiocruz não poderá comemorar os seus 120 anos (que serão celebrados em 2020) como o Brasil merece, se não trilharmos um caminho de trabalho intenso, com unidade, com grandeza, com visão de país, que desde a origem da Fiocruz é a nossa marca. Acho que esse é o sentido maior de cada comemoração”, finalizou.

 

Fique por dentro de outras ações alusivas aos 69 anos do IAM:

Novo site do IAM

Exposição ‘Perspectivas do Livro Acadêmico’ na Fiocruz PE em setembro